O Hiperbóreo e o Escritório

Subiu de elevadoruma certa hemiplegia

E o ambiente era errôneo de tudo

Mas os erros faziam dali o lugar

E o lugar fazia dali os seres,

Das linhas retas

Nasciam homens retos

Traçando caminhos tortos

Nas teclas , nas gavetas, nos rabiscos

Nasciam amores das 6 às 18.

 

E o sol contemplava tudo,

Em sua imensidão se contentava em aparecer na janela

Em algumas eram homens bárbaros

E suas esposas prenhas,

Nos sonhos

Dos engravatados e das secretárias.

 

Parte do fluxo corrente meu sangue esquenta

E o escritório vive

Enpastorado, enpastorando.

 

Não viviam ali heróis

Não cresciam ali povos nem guerras nem romances

Era o café

O papo

Bom dia

Até.

 

A grande Ilíada da promoção

As reuniões de Dante e seu inferno

As grandes gravatas de Kafka

E a Odisséia do Happy Hour.

 

(E no escritório não se ouvia mais nada, além dos gritos dos mudos desesperados)

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

Há quanto tempo tabacarianos?!

Enfim, graças a nova rotina terei tempo de sobra pra ler e escrever, voltarei a postar as boas e velhas poesias de “perdida esperança”, se elas tiverem traços Kafkianos ou de Schopenhauer ignorem, e interpretem por vocês.

Obrigado.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s